Asseptec Ambiental

Processo Técnico de Assepsia e Descontaminação de Areia

ATENDIMENTO

(27) 3256-8571 / (27) 9 9971-6523

EMPRESA

Na Mídia

O Processo exclusivo e prático de assepsia técnica de areia contaminada, desenvolvido pela ASSEPTEC recebeu uma ampla cobertura da mídia através de reportagens em jornais, televisão e revistas especializadas que, assim como todo o público, recebeu a novidade de braços abertos.

 

Técnica inovadora acaba com a areia contaminada

PIONEIRISMO: Produto Capixaba elimina Bactérias da areia sem agredir o meio ambiente e sem usar dedetização

Uma técnica inovadora, desenvolvida no Espírito Santo, é a arma mais eficaz para acabar com as bactérias, fungos e larvas que transmitem doenças através de areias contaminadas. O carro chefe desta nova técnica é o produto Assep Tec Dirty Sand ( Assepsia Técnica para Areia Suja), que extermina os microrganismos causadores dos mais variados danos à saúde. O autor dessa Técnica inovadora é o técnico químico Niucesar Estevam Vieira, que garante que a eficácia do produto é de 100%. O nosso produto mata totalmente qualquer tipo de verminose, com baixo grau de toxidade, afirma. Enfatizando ainda que a solução usada não traz danos ao meio ambiente, por não atingir os lençóis freáticos. O grande benefício do produto é exterminar os microrganismos presentes na areia sem causar intoxicação de seus usuários. Outra grande vantagem é que acaba com a necessidade de se fazer uma troca periódica da areia. A areia é uma grande fábrica de doenças, provenientes da urina e fezes de animais e até de seres humanos. O nosso produto, acaba com esse problema de uma forma muito simples, com um custo relativamente baixo, se comparado ao grande retorno que se tem, afirma Niucesar. O Assep Tec Dirty Sand já está patenteado, mas os principais elementos da sua fórmula são mantidos guardados a sete chaves. Entretanto o seu inventor adianta que basicamente a fórmula é composta por Bactericida (que combate as bactérias), Acaricida (que combate os ácaros), Germicida (que combate os germes), Fungicida (para eliminar os fungos), Viricida (para exterminar os vírus) e um dasalojante de larvas.

METODOLOGIA

Uma amostra da área contaminada é coletada e enviada para análises laboratoriais, utilizando análises qualitativas (computado-rizada) e quantitativas (microbiológica e parasitológica). Com o resultado das análises, verifica-se o nível de contaminação do local, determinando então o tipo de tratamento a ser empregado e a forma de aplicação do produto. Após a aplicação, é realizada nova coleta para comprovação da eficiência da técnica e dos produtos, realizando o mesmo processo acima descrito. Procedimento O que chama atenção para esta nova técnica de desconta-minação de areia, é a simplicidade do procedimento. Primeiramente a área a ser tratada é toda rastelada para a retirada de pedras, folhas, dejetos sólidos, restos de comida ( que desenvolvem bolores e leveduras), entre outros. Em seguida os produtos usados são diluídos com água e aplicada com jatos de pressão. Para cada metro quadrado de areia é usado uma média de 14 litros da fórmula. O período de reação dura, em média, seis horas, e a garantia de ter uma areia limpa pode ficar entre 04 a 06 meses. Pela eficiência do Assep Tec Dirty Sand, não foi encontrado nada semelhante no mercado mundial. Santo de casa não faz milagres É comum o uso desta expressão para exemplificar a dificuldade de ser reconhecido em sua própria cidade. E com o Assep Tec Dirty Sand, não foi diferente. Apesar de ser um projeto capixaba, o reconhecimento veio primeiramente, em São Paulo, onde a utilização do Assep Tec Dirty Sand foi aprovado pela Câmara Municipal e virou Lei naquela cidade. Essa técnica também foi usada, com sucesso, para descontaminar as areias do famoso Piscinão de Ramos no Rio de Janeiro.

ANO LETIVO

O proprietário da Empresa Sertas, (Serviços de Tratamento e Descontaminação de Areia e Solos) responsável pela descon-taminação da areia, Niucesar Estevan Vieira, lembra que esta é a hora apropriada para as prefeituras efetivarem a despoluição das areias das escolas, creches e praças. O ano letivo está acabando e é muito importante que as prefeituras tratem as areias dos colégios e creches para que no ano que vem os alunos possam começar as aulas num ambiente totalmente limpo, explica Niucesar. Niucesar lembra ainda que não é somente as prefeituras que devem fazer o tratamento da areia, os condomínios e clubes também terão que realizar o serviço. Estamos aproximando das férias escolares, e neste período aumenta a permanência das crianças nas áreas de lazer e o risco de contaminação se torna alto. Nós oferecemos um produto que elimina em 100% a contaminação destas áreas, conclui Niucesar. Maiores informações sobre todo o processo de descontaminação, ou para contratar os serviços, basta acessar o site da empresa Assep Tec no endereço www.asseptec.com.br, ou através dos telefones (27) 3256-8571, 9971-6523 e 8152-0886.

DOENÇAS NORMALMENTE ENCONTRADAS EM AREIA CONTAMINADA

Larva Migrans Cutânea (Bicho Geográfico) - Verminose que se instala na camada inferior da pele (epiderme) do ser humano, causando coceira e erupções localizadas. Transmissão: fezes de cães e gatos. Conseqüências: se não combatida, perfura a camada muscular tornando-se hospedeira nas vísceras.

Larva Migrans Visceral - Verminose que se instala na corrente sangüínea do ser humano, atingindo as vísceras e às vezes até o cérebro. Transmissão: fezes de cães e gatos. Conseqüências: altamente perigosa, se não tratada em tempo hábil, pode levar ao óbito.

Hepatite - Vírus que se instala no fígado do ser humano. Transmissão: urina de cães, gatos e outros. Conseqüências: se não tratada com eficácia, pode levar ao óbito.

Toxoplasmose - Bactéria que causa complicações no sistema neurológico, causando paralisia e cegueira. Transmissão: fezes e urina de cães e gatos. Conseqüências: em gestantes, pode provocar a perda do feto.

Leptospirose - Bactéria que só sobrevive em meio aquoso, de Ph neutro ou ligeiramente alcalino (normalmente encontrada em locais que acumulam água da chuva). Transmissão: urina de ratos e morcegos. Conseqüências: causa anemia profunda e nefrose. Necessita de cuidado médico urgente, pois se não tratada, pode levar ao óbito.

Histoplasmose - Bactéria que se subdivide em duas classes: Cavitária Crônica - causa infecções pulmonares semelhantes à gripe e à tuberculose. Disseminada - em estado mais avançado, a infecção em forma de nódulos se espalha por todo o corpo. Transmissão: fezes de morcegos e pássaros em geral, mais especificamente pelo pombo. Conseqüências: apresenta um amplo espectro de manifestações clínicas, desde casos que simulam uma gripe até pneumopatias agudas graves, com insuficiência respiratória. Após duas a três semanas de infecção, podem ocorrer conjuntivite, pleurisia, derrame pericárdico e atrite, podendo deixar como seqüelas calcificações pulmonares e extra-pulmonares.

Hantavirus - Vírus que causa infecção generalizada.

LEGENDA: Processo de limpeza com rastelo para retirada de dejetos sólidos de animais e outras impurezas, e também para promover a oxigenação na areia, objetivando desalojar as bactérias, vírus e larvas, uma vez que estes microorganismos sobrevivem abaixo de seis centímetros de profundidade. Após o rastelamento inicia-se o processo de descontaminação operacional com a aplicação do Asseptec. O Asseptec é ecologicamente correto com prática na medicina preventiva



APRESENTAÇÃO E CERTIFICAÇÕES TÉCNICAS EXCLUSIVAS CLIQUE AQUI

© 2013 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

PRODUZIDO PELA IMPACTA WEB